Pesquisar este blog

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Tratamento Completo com Capiviton + Minoxidil: o melhor tônico capilar do mundo

Com tantos laboratórios pesquisando tratamentos para queda de cabelos no mundo todo, é uma surpresa descobrir que um dos candidatos mais fortes ao troféu de Melhor Tônico Capilar foi descoberto por acidente!
Não estamos falando de um produto específico, na verdade, mas sim do minoxidil, o princípio ativo de vários produtos anti-queda conhecidos internacionalmente (Rogaine, Regaine, Neoxidil ,Tugain, Mintop, Ylox e Lacovin são alguns deles).



Com tantos laboratórios pesquisando tratamentos para queda de cabelos no mundo todo, é uma surpresa descobrir que um dos candidatos mais fortes ao troféu de Melhor Tônico Capilar foi descoberto por acidente!
Não estamos falando de um produto específico, na verdade, mas sim do minoxidil, o princípio ativo de vários produtos anti-queda conhecidos internacionalmente (Rogaine, Regaine, Neoxidil ,Tugain, Mintop, Ylox e Lacovin são alguns deles).


Uma das hipóteses mais divulgadas é a de que, por ser um vasodilatador, o minoxidil seria capaz de estimular a circulação sanguínea e a chegada de mais oxigênio e nutrientes para os folículos. Porém, como outras substâncias vasodilatadoras não produzem o mesmo efeito, acredita-se que o mecanismo de atuação seja um pouco mais complexo.
Outra possível explicação seria a capacidade do minoxidil de abrir os canais de potássio nas membranas celulares, que controlam várias funções e podem interferir no ciclo de vida dos cabelos.
O fato é que o minoxidil parece aumentar o tamanho dos folículos e prolongar a duração da fase anágena dos fios.

Vejam o Vídeo com o Tratamento Completo com Capiviton + Minoxidil, Capivitol age de dentro pra fora e o Minoxidil age de fora pra dentro, ou seja diretamente nos fios.

Vejam mais dicas no Canal Luma Vergara tudo sobre beleza, saúde e culinária.



Várias pessoas observam um período de queda acentuada dos fios logo após o início do tratamento, e em seguida os resultados do produto começam a aparecer. Acredita-se que essa queda inicial (chamada de shedding) aconteça porque o minoxidil anteciparia a saída dos fios que já se encontram na fase telógena, para que novos fios na fase anágena possam nascer.
Qualquer que seja o mecanismo real de atuação do minoxidil, ele não parece afetar diretamente a produção ou a atividade do hormônio di-hidrotestosterona (DHT), considerado o maior responsável pelos quadros de alopecia androgenética. Nesses casos, muitas pessoas observam resultados ainda mais encorajadores quando combinam o uso do minoxidil a algum outro tratamento que atue no nível hormonal, como a finasterida ou outros antiandrógenos.
Como em qualquer outro tratamento conhecido atualmente para a alopecia androgenética, os resultados obtidos com o minoxidil não são definitivos, e só se conservam enquanto durar o tratamento: caso ele seja interrompido, em algum tempo o padrão de avanço da alopecia será retomado normalmente.


Como se usa o minoxidil?

Aquela primeira versão do minoxidil, em comprimidos, não é considerada ideal para o tratamento da queda de cabelos porque a sua atuação é sistêmica, ou seja, impacta todo o organismo. Lembre-se que o remédio foi feito inicialmente para tratar a hipertensão: se for consumido por alguém com pressão arterial normal ou baixa, pode acabar causando problemas sérios de saúde.
Os tônicos capilares e demais versões tópicas (para aplicação direta sobre a pele, em forma de loção, creme ou gel) são mais seguros porque não permitem que o produto seja amplamente absorvido pelo organismo. As formulações geralmente são produzidas em concentrações de 2% e 5%.
A versão de 5% é contra-indicada para mulheres no Brasil. Acredita-se que por ser mais forte, ela possa vir a estimular o crescimento de pelos em outras áreas do corpo, como o rosto (portanto o uso de minoxidil 5% em mulheres é considerado off-label). Como não existem muitas pesquisas sobre o uso durante a gravidez e lactação, ele costuma ser desaconselhado nesses casos (o ideal é conversar com o seu médico para avaliar os riscos e benefícios).


produto deve ser aplicado duas vezes ao dia sobre as áreas afetadas, com o couro cabeludo seco. Existe uma variedade de aplicadores (em spray, conta-gotas e massageadores), mas sempre que você utilizar os dedos para aplicar ou massagear o produto, deve lavar bem as mãos logo em seguida. Para obter os melhores resultados, é recomendado deixar o produto em contato com o couro cabeludo por pelo menos 4 horas antes de molhar a cabeça.
Os efeitos podem levar de 2 meses a 1 ano para se manifestarem, portanto é necessário manter o uso prolongado para observar resultados satisfatórios. Os efeitos mais expressivos são observados em pessoas com menos de 40 anos, principalmente quando o quadro de queda de cabelos é recente (instalado há 5 anos ou menos) e a área tratada é pequena.
O minoxidil não deve ser aplicado sobre áreas irritadas, feridas ou sensíveis do couro cabeludo (não utilize se estiver com queimaduras de sol ou se tiver realizado algum procedimento químico recentemente, como descolorir os cabelos, pois pode causar reações desagradáveis como ardência e prurido). É recomendado evitar a exposição da área em tratamento ao sol, pois a pele pode ficar mais sensível. Algumas formulações contêm álcool ou propilenoglicol como veículo, substâncias que podem causar ressecamento do couro cabeludo e dermatites de contato: nesses casos, as fórmulas com lipossomas podem ser boas substitutas e promover a absorção do produto reduzindo a possibilidade de irritações.
Vale frisar que qualquer medicação, de uso sistêmico ou tópico, deve ser sempre prescrita e acompanhada por um médico, que vai analisar o seu quadro específico, avaliar possíveis fatores de risco (como contra-indicações e possíveis interações medicamentosas) e garantir a eficácia e segurança do seu tratamento. Se durante o uso do minoxidil você apresentar qualquer sinal de alergia, dor, inchaço, taquicardia, tonturas, ganho de peso súbito ou qualquer outro sintoma inesperado, interrompa imediatamente o uso e informe o seu médico.

Vale a pena utilizar o minoxidil?

A menos que você tenha sensibilidade ao produto, ou um quadro de alopecia extremamente severo e avançado (como nos casos de alopecia cicatricial, total ou universal), o minoxidil parece ser uma boa opção para integrar o seu arsenal contra a queda de cabelo – ele não seria o princípio ativo de alguns dos melhores tônicos capilares do mundo à toa, certo?
Uma das principais vantagens é que ele pode ser útil em vários quadros diferentes de queda de cabelos – no tratamento da alopecia androgenética clássica, na recuperação de áreas atacadas em episódios de alopecia areata, eflúvio telógeno e tricotilomania, ou para estimular o crescimento dos fios após um transplante capilar, por exemplo.  Além disso, a aplicação tópica reduz enormemente as chances de qualquer efeito colateral, e torna o uso do produto fácil e rápido de aprender.
O custo dos produtos tem deixado de ser um problema porque o minoxidil vem se tornando cada vez mais popular, com opções disponíveis no mercado variando desde a casa dos R$ 20 até acima dos R$ 200 (dependendo da quantidade de produto, duração do tratamento, apresentação da fórmula, método de aplicação, etc). Ou seja, tem pra todos os gostos – e bolsos :)
Os resultados não são rápidos nem milagrosos, e o ideal é que o minoxidil não seja o seu único tratamento contra a queda de cabelos – um produto sozinho não costuma ser tão eficaz quanto um kit que ataque o problema por várias “frentes” diferentes. Mas com paciência e disciplina, ele pode ser sim uma adição valiosa ao seu arsenal anti-queda!

Para adquirir o Tratamento Completo acesse o Link:  https://www.bspharma.com.br